O dia de Sábado

Reverendo Milton Santana

Disse ainda o Senhor a Moisés: Diga aos israelitas que guardem os meus sábados. Isso será um sinal entre mim e vocês, geração após geração, a fim de que saibam que eu sou o Senhor, que os santifica. Guardem o sábado, pois para vocês é santo. Aquele que o profanar terá que ser executado; quem fizer algum trabalho nesse dia será eliminado do meio do seu povo (êxodo capítulo 31 vers. 12 ao 14).
O sábado tinha sido instituído como um sinal do relacionamento peculiar que existia entre Deus e Israel como Seu povo especial. A importância deste sinal é vista na insistência dos profetas posteriores de que a observância do sábado era uma indicação da condição espiritual do povo israelita. O profeta Jeremias no capítulo 17 vs. 19 ao 27 faz uma exortação a que se santifique o sábado como sinal de arrependimento por parte do povo israelita (conforme Neemias capítulo 13 vs. 15 ao 22), que usava o sábado para trazer à cidade seus produtos agrícolas e artesanais, violando assim a Lei. Também o profeta Ezequiel no capítulo 20 v. 12 diz: Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica.
Em êxodo capítulo 20 vs. 8 ao 11 quando dos dez mandamentos dado a Moisés o sábado servia como dia santo e dia de descanso para homens e animais, comemorando o descanso de Deus depois da obra da criação, portanto, o sábado era rodeado de uma série de cuidados para que não houvesse nenhuma atividade dos israelitas, inclusive acender o fogo conforme êxodo 35 v. 3. Este é o único mandamento do Decálogo não repetido depois do dia de Pentecostes que aconteceu após a ressurreição de Cristo e registrado no capítulo 2 do livro dos Atos dos apóstolos. A Igreja de Cristo fez do domingo (dia do Senhor) o seu dia de culto conforme Atos capítulo 20 v. 7 que diz: No primeiro dia da semana (domingo) estan
do nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite.
Esta passagem é interessante e importante, no que tange aos primitivos hábitos dos crentes se reunirem para a sua adoração regular em um primeiro dia da semana, ou domingo, e que foi uma reunião formal dos cristãos, para algum propósito, o que fica demonstrado pelo fato de que tiveram a cerimônia do partir do pão, isto é, da ceia do Senhor. Antes dessa ocasião o apóstolo havia escrito instruções sobre a celebração da ceia do Senhor ou eucaristia (ver I Coríntios cap. 11 v.17 e s.), portanto, esse rito simbólico já havia sido introduzido na igreja cristã como ordenança do Senhor. Isso serve, por semelhante modo, de indicação do fato de que o domingo já se tornara um dia importante para os cristãos primitivos, sem dúvida alguma por causa da ressurreição do Senhor Jesus naquele dia, que passou a ser conhecido pelo nome de “O DIA DO SENHOR”.
Portanto, para ser cristão verdadeiro, é necessário que aceite os princípios de Cristo, do Evangelho e da mensagem apostólica como o fundamento do reino de Deus. E nas palavras do apóstolo Paulo aos Gálatas cap.1 v. 8 diz: Mas, ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema (MALDITO).
Através dos séculos, homens com espíritos contrário ao de Cristo, tem fundado heresias distorcendo o evangelho e tem caído na perdição, arrastado a muitos com eles.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s